Paquera a minha bunda

28 05 2008


Parece rude, mas na verdade é um desabafo romântico, obviamente que da minha maneira.

Onde estão as pessoas que gostam de paquerar de São Paulo? Cadê aqueles que trocam olhares, sorrisos, conversam assuntos interessantes, instigam a outra pessoa até que enfim se entregam ao primeiro beijo que, geralmente, é até pior que este trâmite todo de tanta expectativa que nos traz?

O que eu vejo na balada é só um monte de pangaré passando na nossa frente, com carinha de quem ta gostando demais esperando um retorno para partir pro abate. Eu não agüento mais. Sério.

Eu não sou do tipo bombons, flores e serenata, mas este piriguetismo todo também já está me irritando.

Existem dois tipos de pessoas modernas: As que se acham primogênitas de Lizzy (Rainha Elizabeth para vocês, pobres mortais) e as que dão mais que chuchu na serra. Será que hoje em dia é pecado ser apenas alguém que se gosta, em busca de alguém com conceitos? Eu nem estou falando de namorar, que é até algo que não me convém muito, por pura cuzonice aguda mesmo (leia-se medo), mas para se ter um flerte, será que dá para ser com seres humanos?

Eu estou de saco cheio desta era de ou se dança o Creu ou Cada um no seu quadrado.

Pronto. É só isso. Beijo e CONVERSEM COMIGO! kkkkkkkkkkk

Anúncios