Dia Forrest Gump

12 10 2008

Ontem foi um dia inusitado, no qual percebi que bom humor é tudo na vida.

Imagine que eu e o Doug combinamos de nos encontrar para verificarmos algumas coisas para a festa dos anos 80 que daremos no sábado que vem. Ritmo de festa que balança o coração, fomos todos lindos e pimposos atrás de alguns mimos (tacinhas, um óculos rayban para o Cazuza – ele – e um tubinho pretinho básico para a Tina Turner – eu).

Anda. Anda. Não para não. Chega no Teatro Municipal e pergunta onde fica a 25 de Março.

“Vai por aqui, primeira esqueda, segunda direita, depois direita esquerda, esquerda e você está lá!” Foi a resposta que ouvimos. Não precisa nem dizer que dois minutos depois não lembrávamos de mais nada.

Mas enfim chegamos…e desce aquela ladeira rezando para não tomar um rola. Final da ladeira e aquela invasão de calor humano emoldurado de sacolas. Aflição, síndrome do pânico e do momento Amy Winehouse batendo.

Anda mais um pouquinho, não acha nada. Vamos na galeria do Rock? Vamoooooooooos!

Saindo da 25 de Março enfrentamos um arrastão de camelôs. Coisa agradável, você correndo daquele povo gritando com suas barraquinhas na mão, te atropelando, você se sentindo uma galinha louca no meio de um tiroteio – à essa hora já estávamos achando tão bizarro tudo o que nos ocorreu até o dado momento que nem corrrer direito a gente corria, porque tinha ataques de risos nervosos.

Passou o arrastão dos camelôs, ufa…. Agora vamos atravessar uma avenida…mas é grande a bicha da avenida, grandeeee…Começamos, no meio pensamos “vamos morrer” e perdemos a classe, correndo que nem duas peruas velhas…

Agora mais uma rua para atravessar. Corridinha básica e atravessa. Mas gente, olha essa mureta aqui, barrando a rua do pedaço que a gente realmente tem que ir. Ai Jesus, vamos pular a mureta. Não acredito, vai, vamos!

Anda, anda, anda. Chega na galeria, despenca o mundo lá fora, chuva, chuá, chuá. Roda a galeria, vê um monte de coisa interessante, mas que não tem a ver com o propósito do passeio.

Ao subir as escadas rolantes falando ” ai, não falta mais nada acontecer com a gente) a escada rolante para no meio com a gente olhando com cara de “I see dead people” um para o outro.

Doug resolve que que quer uma camiseta do Radiohead com gola careca.

” Tem camiseta de gola careca” , pergunta ele de loja em loja. E descobre não só que não tem a camisa de gola careca, mas que é praticamente é um crime pedir camisetas de gola careca na galeria. As respostas de não ( um não bem redondo) eram seguidas de uma cara de “te desprezo”! Qual é, roqueiros não podem usar golas carecas, essa é a nova onda? Imagine se ele tivesse pedido uma gola v ou uma cacharel…

Acabou a chuva, os pés em bolhas, vamos nos dar um minuto de dignidade e vamos num brechó na frente da galeria Ouro Fino para ver se encontro o vestido Tina Turner e os óculos Rayban para o Doug-Cazuza.

Vamos entrar num táxi. O outro taxista não deixa, pede para a gente entrar no dele. 600 metros depois de entrarmos o taxista faz a louca, pois recebeu uma chamada de uma corrida muito maior, e diz que vai nos deixar ali mesmo, perto da Maria Antônia, pede desculpas e diz que não vai cobrar – era só o que nos faltava.

Não tínhamos força nem para reclamar. Saímos do táxi e tivemos uma crise de riso, uma crise de “meu, me abraça, tá phoda”.

Pegamos outro táxi e finalmente chegamos na galeria. Êeeeee….Uêpa…não dá para ir no brechó porque está rolando uma festa na galeria.

Ok, estamos vencidos! Vamos na Ouro Fino tomar uma cervejinha e comentar as desgraças. Tínhamos de tudo para estarmos puto, mas a gente ria mais do que hiena no cio. Não sei ainda como o Doug está (acabei de acordar), mas minha síndrome de Pollyana persiste…apesar dos pés ainda inchados, vejo a minha perna bem durinha de tanto andar. ( e eu ainda tinha feito aula de flamenco antes dessa bad trip).

Nada deu certo…mas sou a Mel B!

BeijosPepepeÔTiraEssaUrucadeMimTchau!

Anúncios




Leitores diabólicos, titio responde.

16 06 2008

Então que estou eu todo serelepe blogando e me vem o seguinte comentário da Jaqueline (who?), a respeito da esticadinha da Macy Gray na Baronetti, no Rio de Janeiro:

sabe pq os gringos gostam mais do rj que sp para se divertir? pq a gente tem humildade de espírito paulistanos se sentem mt e só sabem falar mal de carioca, pessoas de personalidade pequena é que criticam as demais, e pilantra meu caro existe em todo lugar como trabalhador tb, sou uma dessas pessoas que trabalham um bocado e carioca mt prazer e com mta honra, ao menos ñ me desfaço de ng e nem jogo sujo como vc!

Como a gente perde o amigo mas não perde a piada, o que dirá uma leitora desinformada sem a menor noção de interpretação de texto, que chega chegando com esta audácia toda? Lá vai para você, Jaque:

Primeiro. Eu não falei mal do Rio pois ADORO MUITO ESTA CIDADE! Falei apenas que a especialidade de vocês é o dia e a de Sampa é a noite.

Muito obrigado por ler meu blog e por se importar tanto com o que escrevo a ponto de comentar tão fervorosamente. É realmente este o impacto que quero causar nas pessoas, comovê-las ao ponto de se expressarem, assim como eu faço diariamente.

Agoooora, se você não consegue interpretar um texto ou ainda anda mal comida (se comida for) e quer descarregar em pobres blogueiros de nobre coração que vão todos os dias ao Ego colher idéias, fique à vontade. Você realmente deve ser uma carioca piriguete da beira de Copa à noite, isso se não for minha amiga íntima Dedéia Albertini! kkkkkkkkkkkkk

Prá fechá: Sua personalidade doce e meiga combina com seu e-mail “virgemmeiga@…………..”

Beijonãomeliga!

Já um oooutro leitor, a respeito do mesmo post, disse:

“Ah cara deixa de ser rancoroso. sp é um porre. ta cheio de gente chata que se acha . qualquer lugar no Brasil até na pior favela do nordeste é melhor que conviver com esses paulistas escrotos”

Tio Quentim responde:

O cara (tão corajoso que não coloca o nome) gente escrota tá lotado em sampa, no rio, sergipe, amapá, amazonas, goiás, santa catarina, califórnia e adjacências, agora, mais escroto que isso só pré conceito contra algum local. Conheci cariocas maravilhosos e escrotíssimos, assim como toda e qualquer outra cidade. Não existe melhor ou pior cidade, mas melhor ou pior companhia. São Paulo para mim é melhor porque tenho os melhores amigos do mundo (beijo gente).

A parte das favelas do Nordeste não vou comentar, tenho medo de te sequelar para o resto da vida. Só da uma Googada que você compreende sozinho, mais digno

^___^

Quem fala o que quer, ouve o que não quer. E que tenhamos muitos mais titio responde.

Comentem malditos, nóis adora vocês!





Por que gringo acha que tudo de melhor no Brasil fica no Rio de Janeiro?

2 06 2008

Sérião, mesmo. Por que todo gringo acha que tudo o que há de melhor no Brasil fica no Rio de Janeiro e São Paulo só é conhecida por empresários e apenas para duas finalidades: visitar empresas e visitar o Café Photo?

A Macy Gray por exemplo. Acabou um show aqui no parque Villa Lobos, pegou um avião, foi para o Rio de Janeiro À NOITE e se esbaldou na boate Baronetti, no Rio de Janeiro.

Você quer pegar um bronze, ver gente sarada, malandrona e pans? vai para o Rio de Janeiro. Quer conhecer belezas naturais em um local mais urbanizado, com infra-estrutura decente para tal atividade ainda sendo no Brasil? Vai ao Rio de Janeiro. Quer sambar todo criolão doido, ver umas negonas firmeza cheias de melanina, bunda e gingado? Rio é a parada. Quer pegar uns travecos que depois fazem escândalo na mídia? Liga para o Ronaldo e vai pro Rio (beijo gente). 

Agooooooooora…. Quer curtir a noite? VENHA PARA SÃO PAULO, CARAMBA!!!

A gente é muito mais que trabalhadores estressados (que o diga este post, feito às 3 da tarde, mas enfim…), a Rua Augusta também que o diga. Isso é bobagem que inventam e os gringos todos tontões acreditam. Balada boa no Rio é igual praia boa no litoral Sul de São Paulo, ou seja: UMA BOSTA SÓ.

Fica o recado: MACY, QUANDO VOLTAR AO BRASIL ME LIGA QUE A GENTE VAI JUNTOS PARA A LOCA, OK?

Beijos, me comentem.

Fui enganada pelo Rio de Janeiro